Remédio para HIV será testado contra Covid-19 em pacientes do Ceará

Depois de verificar que o remédio tenofovir desoproxila fumarato (TDF), usado no tratamento da Aids e hepatite B, tem potencial para reduzir a carga viral de células infectadas pelo novo coronavírus em até quinze vezes, em testes em laboratório, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) planejam o início dos testes clínicos.

Eles querem avaliar se o medicamento é capaz de conter o avanço da doença e melhorar o estado de saúde dos pacientes com quadro leve e médio da Covid-19, internados no Hospital São José de Doenças Infecciosas, de Fortaleza, no Ceará.

Serão feitos testes com o TDF isolado e associado ao antiviral entricitabina, também usado no tratamento da Aids. Para iniciar, eles precisam da autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), ligada ao Ministério da Saúde.

O TDF atua com os mesmos mecanismo do remdesivir, outro antiviral que vem apresentando bons resultados no tratamento da Covid-19.

O professor Norberto Peporine Lopes já se mostrou otimista com o medicamento como uma ferramenta para tratar os pacientes brasileiros. “A indústria no Brasil tem muito mais condições de disponibilizar o medicamento com esse princípio ativo para a população do que no caso do remdesivir”, disse ao jornal da USP.

 

*Metrópoles




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *