Raimundão se compromete a apoiar nome indicado por Camilo na sucessão de Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte. O ex-prefeito Raimundo Mâcedo (MDB) afirmou hoje (13), durante reunião no Palácio da Abolição, em Fortaleza, que apoiará o nome a ser indicado pelo governador Camilo Santana (PT) às eleições municipais do próximo ano em Juazeiro do Norte. Raimundão, como é popularmente conhecido, solicitou audiência ao governador por meio do vice-presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Fernando Santana (PT), para discutir possivéis investimentos do Estado junto ao Hospital Inês Andreaza, no município de Aurora, e para solicitar apoio do governador para que seu filho, Davi Mâcedo, suplente de deputado pelo MDB, venha a assumir mandato no Parlamento cearense. Antes, no entanto, o cenário político neste município foi a tônica da conversa entre Raimundão e Camilo Santana.

Foi o próprio governador quem provou o início do tema. Camilo quis saber qual a avaliação do ex-prefeito em relação ao cenário atual nos bastidores políticos do município. Ouviu do emedebista que “embora ainda muito cedo, as peças [lideranças políticas] já se posicionavam em busca de apoaidores”.

Uma fonte palaciana informou à reportagem que, embora não tenham sido esboçados nomes durante a conversa, Raimundão sinalizou ao governador que seria mais “tranquilo” se o nome indicado por Camilo fosse de um amigo próximo a ele. Ressaltou, no entanto, que não será óbice de qualquer indicação.

Camilo possui larga base de apoiadores em Juazeiro do Norte: o prefeito e o vice prefeito do município, Arnon Bezerra (PTB) e Giovanni Sampaio (PPS), respectivamente, o empresário Gilmar Bender (PDT), a ex-deputada Ana Paula Cruz (que estuda filiação junto ao PSB), o ex-prefeito Manoel Santana (PT), o advogado Gabriel Santana (PCdoB), além do tucano Manoel Salviano Sobrinho (PSDB), ex-prefeito e ex-deputado federal, único dentro da base a não esboçar, até o momento, interesse na disputa vindoura.

A escolha de Camilo, conforme a fonte, só deve acontecer entre abril e maio do próximo ano. Até lá, os que já anunciaram disposição ao pleito tentam não só ganhar a indicação do governador como, também, convencer os demais a abrir mão da disputa. A dúvida, neste caso, é saber se a base de Camilo permanecerá unida após a unção do escolhido.

 

* Roberto Crispim




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *