Quem é o homem que mais ganhou dinheiro no mundo este ano

A pessoa que mais ganhou dinheiro em 2022 é um indiano: Gautam Adani, chamado de “rei da infraestrutura” no país asiático de mais de 1,4 bilhão de habitantes. Ele é conhecido por ser um dos maiores empresários da Índia, com investimentos que vão desde minas de carvão, um dos seus primeiros negócios, a usinas de energia, portos e aeroportos.

Todos os negócios fazem parte do portfólio do Adani Group, cuja valorização recente das ações na bolsa da Índia fizeram a fortuna de Adani saltar US$ 43,4 bilhões desde janeiro, segundo o ranking de bilionários organizado pela Bloomberg.

Com isso, seu patrimônio é hoje de US$ 120 bilhões, o que faz dele a pessoa mais rica da Ásia – e a sexta do mundo, à frente de nomes como Larry Page e Sergey Brin, fundadores da Alphabet (dona do Google), e do megainvestidor americano Warren Buffett.

A fortuna de Adani começou a se multiplicar rapidamente durante a pandemia, época em que o empresário passou a anunciar uma série de investimentos. Um dos planos do grupo que mais chamam a atenção é o de aportar US$ 70 bilhões em projetos ligados à energia renovável até 2030, uma medida que se alinha com os planos da Índia e do primeiro-ministro Narendra Modi. O líder indiano se comprometeu durante a COP26, em 2021, a zerar as emissões de carbono nos próximos 50 anos. Mais do que isso, prometeu que metade da energia produzida no país virá de energias renováveis – hoje, elas representam apenas 3% da matriz.

HISTÓRIA

Aos 18 anos e não muito fã de estudar, Adani abandonou a faculdade e se mudou de Ahmedabad, sua cidade natal, para Mumbai, onde abriu uma empresa voltada a diferenciar diamantes verdadeiros de cópias baratas. O negócio evoluiu para compra e venda das pedras preciosas e, aos 20 anos, ele se tornou milionário.

Em seguida, passou a atuar no comércio exterior de uma fábrica de plástico em Ahmedabad, recém-comprada por um de seus irmãos. Adani cuidava tanto da compra de matérias-primas quanto das vendas. O negócio evoluiu para mineração de carvão e, beneficiado pela abertura comercial da Índia em 1991, ele se tornou um dos grandes empresários do país. A escalada seguiu com ele vencendo o contrato de privatização do Porto de Mundra, maior porto comercial (e mais importante ponto de importação de carvão) da Índia.

Nos últimos anos, com o apoio de Modi para o desenvolvimento da infraestrutura indiana, o magnata avançou para outras áreas. Hoje, ele comanda sete aeroportos, que representam praticamente 25% de todo o tráfego aéreo do país.

Agora, Adani tem ampliado a sua atuação em países vizinhos, como o Sri Lanka, onde vai construir um terminal portuário. Para completar, também passou a investir nos últimos meses em data centers, segmento em que quer atuar em toda a Índia, que se tornou um dos polos tecnológicos mais importantes do mundo.

 

*As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *