Protocolo de limpeza de ferramentas e cuidado com trabalhadores: guia do SESI orienta empresas sobre o coronavírus

O Serviço Social da Indústria (SESI) lançou um guia para prevenção da Covid-19 nas empresas. O documento digital de 18 páginas possui orientações e informações para auxiliar gestores e funcionários na identificação de casos suspeitos, formas de transmissão e grupos de risco do novo coronavírus.

Segundo o gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, Emmanuel Lacerda, a cartilha foi produzida por médicos do trabalho e infectologistas e é baseada no Protocolo de Manejo Clínico do Ministério da Saúde.

“Esse rol de medidas inclui ventilação, higienização e desinfecção de ambiente de trabalho, desinfecções de ferramentas e equipamentos de trabalho, práticas de segurança no trabalho, como promoção de etiquetas respiratórias”, explica.

O guia reforça a importância de empresas e trabalhadores seguirem as orientações de conduta pessoal consolidadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde. Manter as pessoas informadas sobre a doença e estimular a redução de contatos físicos e a higiene constante das mãos está entre as principais medidas que as empresas devem tomar.

O manual recomenda, ainda, que a empresa reforce o papel de seu serviço médico na orientação dos funcionários e de seus familiares e na divulgação dos contatos dos serviços oficiais de saúde – Disque Saúde 136 e aplicativo do Sistema Único de Saúde (SUS). Esses canais recebem atualizações frequentes sobre informações falsas, informativos sobre a doença, autodiagnóstico e mapa indicando as unidades de saúde mais próximas.

Além disso, por conta do volume diário de informações que podem confundir a população, Lacerda ressalta que o documento será atualizado de acordo com novas orientações oficiais. “O guia será atualizado semanalmente com informações. À medida que as autoridades públicas de saúde revisem seus protocolos, nós iremos incorporar a esse guia. Tudo é muito dinâmico. Estamos aprendendo e a mensagem é que não podemos subestimar a gravidade da transmissão e do contágio desse vírus”, completa o gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI.

Recomendações

O guia possui informações sobre os sintomas e modo de transmissão da Covid-19, além de orientações de como as empresas devem preparar o ambiente de trabalho para evitar que seus colaboradores contraiam ou transmitam o coronavírus.

Isso inclui políticas e práticas de flexibilização do local e horário de trabalho para reduzir contato social na empresa, cuidados com a higienização pessoal do trabalhador e de equipamentos e a fixação de materiais informativos sobre etiqueta respiratória.

O empresário e sócio-diretor da MB Ambientes, Felipe Bomtempo, conta que utilizou o material disponibilizado pelo SESI para equipar o local de trabalho com insumos de prevenção e orientar os 90 funcionários que produzem e vendem móveis planejados e que estão alocados na fábrica e em uma loja no Distrito Federal.

“Eu recebi por e-mail a cartilha do SESI e ela me ajudou a implantar as medidas. Até hoje a gente consulta algumas coisas, tem um informativo que a gente colocou no mural da empresa que a gente retirou da cartilha. Me ajudou bastante”, revela Bomtempo.

Arte: Agência do Rádio

Além disso, a rede SESI tem realizado campanhas de vacinação, com a aplicação de mais de um milhão de doses da vacina da gripe em profissionais da indústria e seus familiares. Vale lembrar que, segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus, mas ajuda os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico de Covid-19, já que os sintomas são parecidos.

“Estamos focando em ações do Sistema Indústria que vão ao encontro das necessidades da sociedade, do país e da indústria brasileira”, reforça o diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi.

“Indústria contra o coronavírus”

O SESI não é a única instituição ligada à indústria que tem se preocupado em amenizar os efeitos da pandemia de Covid-19 e proteger quem produz e quem consome. Por meio da campanha nacional “A indústria contra o coronavírus”, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e as Federações das Indústrias dos 26 estados e do DF têm levado informação e tomado medidas para reduzir os impactos econômicos e preservar vidas.

O SENAI, por exemplo, abriu vagas gratuitas em cursos a distância voltados à indústria 4.0, que inclui temas ligados à tecnologia, como Blockchain, Lean Manufacturing e BIM (Building Information Modeling). Os cursos têm carga horária de 20 horas e estarão disponíveis até junho. Para ter acesso aos cursos e às vagas, basta acessar a plataforma Mundo SENAI e fazer um cadastro. Essa foi a alternativa encontrada pela instituição para levar educação e capacitação profissional nesse período em que milhões de brasileiros precisam ficar confinados dentro de casa.

 

*Paulo Henrique, da AR+




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *