Pesquisa Ipespe: Camilo lidera com folga cenários para o Senado

O ex-governador Camilo Santana (PT) totaliza de 66 a 68 pontos percentuais na disputa ao Senado Federal contra potenciais adversários ligados ao pré-candidato de oposição a governador Capitão Wagner (União Brasil), aponta pesquisa Ipespe contratada por O POVO. São eles: o vereador de Fortaleza Inspetor Alberto e o ex-deputado federal Raimundo Gomes de Matos, ambos do PL.
Pesquisa estimulada
Em cenário contra Alberto, Camilo obtém 68 pontos percentuais, seguido por “nenhum, branco ou nulo”, com 14. Na sequência, aparece o vereador bolsonarista com 5 pontos.

No outro cenário, Gomes de Matos também perde para “nenhum, branco ou nulo”. Neste recorte, Camilo lidera com 66 pontos percentuais. Atrás dele vem “nenhum, branco ou nulo”, marcando 14 pontos. Gomes de Matos tem 4 pontos.

A margem de erro máxima estimada é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança de 95,5%. A pesquisa foi realizada de 30 de julho a 2 de agosto. O Ipespe ouviu mil pessoas com 16 anos ou mais em todas as regiões do Ceará, por telefone, via sistema Cati Ipespe. A pesquisa foi contratada pelo O POVO e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com os números BR-03845/2022 e CE-01693/2022.

Na pesquisa espontânea que, diferentemente da estimulada, não lista os possíveis candidatos para que o entrevistado cite o preferido, Camilo é lembrado como candidato em que 37% dos entrevistados votariam nele se o pleito ocorresse hoje. Perde apenas para “não sabe” ou “não”. com 60 pontos percentuais.

Indefinições quanto ao Senado rondam as chapas majoritárias a um dia do final das convenções partidárias. É possível que os entendimentos sejam buscados até o dia 15 de agosto, o prazo para o registro das candidaturas.

A pesquisa é realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). Com 36 anos de atuação, o Ipespe tem como presidente do Conselho Científico Antonio Lavareda. Ele é doutor em Ciência Política efoi coordenador ou consultor em 91 campanhas eleitorais majoritárias no Brasil e atuou também em Portugal e na Bolívia.

 

*O POVO




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *