Musa de Escola de Samba desfilará seminua com tatuagem de Bolsonaro à mostra: ‘feministas odeiam’

A polarização política não teve fim após as eleições presidenciais do ano passado e estará na avenida mais uma vez neste Carnaval. Podemos esperar mais um capítulo do eterno duelo “petralhas” x “bolsominions” no desfile da Unidos de Vila Maria, em São Paulo. Isso porque a musa da escola, Erika Canela, irá ao Anhembi com uma tatuagem do presidente Jair Bolsonaro à mostra.

A morena, vencedora do concurso Miss Bumbum de 2016, decidiu homenagear o capitão reformado do Exército no final do ano passado, após a confirmação da vitória nas urnas. Desde então, se envolveu em diversas polêmicas, que segundo ela, vão de represálias de internautas, xingamentos e até tentava de assalto na casa da família.


Mesmo com os ânimos acirrados, Erika não se intimida com o que chama de “haters” e adianta: não irá cobrir a tatuagem para evitar desavenças. “As feministas me odeiam, mas mesmo assim, deixarei a tatuagem à mostra”, diz ela.

Esta não será a primeira vez de Erika na avenida, mas provavelmente será a mais ousada. Em 2017, a musa desfilou para a escola sem apostar na nudez por frequentar a igreja evangélica, junto com a família, na época. Já neste ano, promete exibir não apenas a tatuagem, mas todo o corpo malhado. “Estou me preparando emocionalmente e fisicamente para ser destaque nesse Carnaval. Sem dúvidas, é uma honra fazer parte disso tudo de novo”.

A Vila Maria será a penúltima escola a passar pelo Anhembi na segunda noite do Grupo Especial do Carnaval paulistano. Com o enredo ‘Nas asas do grande pássaro, o voo da Vila Maria ao império do Sol’, a agremiação da zona norte falará da importância do Sol nas relações entre o Brasil e o Peru.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *