Genoino: “PT precisa voltar a ser o grande rebelde da política brasileira”

O ex-presidente do PT José Genoino,74 anos, defende que o partido volte a ser “o grande rebelde da política brasileira”. O político deu uma entrevista no YouTube aos jornalistas Luís Costa Pinto e Eumano Silva nesta quarta-feira (2), na qual também defendeu a formação de uma frente de esquerda em 2022.

Genoino fazia, no programa “Sua Excelência, o Fato”, uma avaliação das eleições deste ano e do cenário político atual. Para ele, não há mais conciliação possível com as classes dominantes brasileiras. “O sistema econômico, os monopólios, o sistema americano, os monopólios midiáticos não querem acordo com o Lula”, afirmou. “O partido precisa voltar a ser o grande rebelde da política brasileira. E o Lula tem que ser o líder desse processo. Caso contrário, morreremos”, disse.

Na visão do ex-presidente do PT, o partido precisa dizer quais foram os erros que cometeu em seus governos. “Fizeram essa onda de massacre que nunca foi feita contra nenhum outro partido na democracia”, afirmou. E aponta o motivo para isso: “Mexemos com as vacas sagradas da classe dominante brasileira, que foi distribuir renda”.

Frente de esquerda
Para 2022, Genoino defende que as esquerdas se unam e formem uma frente, com o PT entendendo que “não é só ele de esquerda”. Na avaliação do político, é necessário dialogar com o PSOL, com o PCdoB e estabelecer pontes com setores do PDT e do PSB.

Ciro Gomes estaria incluído? Genoino responde: “O Ciro Gomes está construindo um suicídio político. O programa dele é inviável para classe dominante brasileira. Esse desenvolvimentismo do Ciro Gomes, esses caras não aceitam”. Além disso, em sua visão, eles “têm medo dos arroubos” do ex-ministro. “Ele [Ciro] vai ser a anti-esquerda e ao mesmo tempo não vai ser querido pela classe dominante”, afirmou.

E vaticinou: “Eu só posso conquistar reformas se eu mostrar os dentes. Se a esquerda não mostrar os dentes, a direita não tem medo da mordida”.

 

*Revista Fórum




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *