Cid Gomes leva dois tiros durante confronto com policiais em greve

Sobral. O senador Cid Gomes (PDT) foi baleado no início da tarde desta quarta-feira (19), neste município, após confronto com policiais militares que participam da greve deflagrada ontem pela categoria no Ceará. Cid, que está licenciado do Senado Federal, tentou atravessar uma barreira criada pelos grevistas em uma das avenidas da cidade. Antes, o senador havia ultimado os policiais a deixarem o local e retornarem as suas casas.

“Esse movimento é ilegal. Vocês têm cinco minutos para pegarem seus parentes, as suas esposas, os seus filhos, e saírem daqui em paz. Cinco minutos, nenhum a mais”, determinou o pedetista, dando início a um bate-boca com os grevistas.

A confusão aumentou quando Cid Gomes tentou usar uma retroescavadeira para atravessar o bloqueio imposto pelos PMs. Tiros foram disparados e pedras foram jogadas contra a cabine do maquinário atingindo o pedetista. Houve gritaria e tumulto. Cid foi socorrido por populares ao Hospital do Coração de Sobral, onde recebeu os primeiros atendimentos.

A assessoria do político chegou a informar  que ele havia sido atingido por bala de borracha. Mais tarde, em Nota, a assessoria comunicou que “o senador Cid Gomes foi baleado por uma arma de fogo”. O documento também informava que ele passava por estabilização no Hospital do Coração de Sobral, aguardando condições para transferência para a Santa Casa de Misericórdia, localizada no mesmo município.

Por volta das 19h o Ministério da Justiça  e Segurança Pública lançou Nota informando estar acompanhando a situação no Ceará. O Ministério afirma que analisará as providências que podem ser tomadas. Equipes da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal, conforme o documento, foram encaminhadas ao município de Sobral para garantir a segurança do senador Cid Gomes.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, também lançou mão de comunicado oficial para informar que acompanha o caso “com preocupação”. “Acompanho com preocupação os desdobramentos do ocorrido com o senador Cid Gomes, na tarde desta quarta-feira (19), em Sobral, no Ceará. Entrei em contato o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e com o governador do Ceará, Camilo Santana, para obter informações e garantir a segurança do parlamentar”, disse Alcolumbre.

Um áudio postado na rede social WhatsApp, apontado como sendo de um médico que teria atendido o senador, informa que Cid Gomes foi atingido por dois projeteis de arma de fogo. Um dos projeteis teria atingido a clavícula do pedetista, enquanto que o outro perfurou um dos pulmões do senador, causando-lhe um pneumotórax (quando há presença de ar entre as camadas que revestem o pulmão e o interior da parede torácica).

“Confirmado que o ex-governador recebeu realmente dois projeteis. Um dos projeteis bateu na clavícula, saiu, e o outro entrou no pulmão. Ele fez um pneumotórax, foi drenado aqui no Hospital do Coração, está estável, fez hidratação, dois acessos calibrosos e tá (sic) indo agora para a Santa Casa fazer uma tomografia. O ecocardiograma não demonstrou comprometimento das cavidades cardíacas. Paciente, portanto, não teve nenhum choque hipovolêmico […] ele está estável, conversando, estava tranquilo”, afirma o suposto médico.

Pelo Instagram, o ex-ministro Ciro Gomes disse que o irmão “foi vítima de dois tiros de arma de fogo por parte de policiais militares amotinados e mascarados em Sobral”. Conforme Ciro, “as informações médicas são de que as balas não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo”.

Ciro disse esperar serenamente, embora cheio de revolta, “que as autoridades responsáveis apresentem prontamente os marginais que tentaram este homicídio bárbaro às penas da lei”.

 

*ROBERTO CRISPIM (Imagens: Reprodução)

 

 

 

 

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *